sexta-feira

Um corset para chamar de seu

Quem gosta de uma lingerie sensual e de qualidade, quase invariavelmente se sente atraída (ou atraído) pelo espartilho e a prática do tightlacing (a remodelagem da silhueta com o uso contínuo do corset). Corpetes chineses à parte, vários elementos contribuem para que sejam poucas as pessoas que usam o espartilho diariamente, um deles sendo o alto custo (justificável) das peças.

Fotos: Ferrer Corsets
Ao contrário das peças vendidas com o nome de espartilho que fazem pouco pela silhueta, um verdadeiro corset reconstrói a cintura através da modelagem e das barbatanas de aço. A produção, artesanal e sob medida, e os materiais de qualidade dão ao produto final um valor de alta costura. Por não ser descartável ou de fast fashion, a longo prazo se percebe que um espartilho não custa caro.


Recentemente o corsetier Marcelo Lima, da Ferrer Corsets, lançou um modelo underbust de design básico para a prática com mais um atrativo: o preço. Com a eliminação do busk frontal e o painel das costas, o corset de sarja de algodão puro, que pode ser encomendado nas cores bege, branco e preto, sai por módicos R$200. Não dá pra ficar mais budget do que isso.

O ateliê fica em Fortaleza, mas a Ferrer Corsets vende pela internet
Não sabe a diferença entre corset, corpete e corselet? Clique aqui para mais sobre o assunto.

Um comentário:

Vanessa Licciardi disse...

OI meninas! Ficou linda a nova cara do blog! Está maravilhoso!

A propósito, amo corsets! todo mulher deveria ter uma coleção deles! O melhor é que a gente vicia!! rs

Beijocasss